Terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida tem verba de R$210,6 bilhões para os próximos dois anos

O Governo Federal lançou no final do mês de março a terceira etapa do programa habitacional Minha Casa Minha Vida. De acordo com o governo, serão investidos mais de R$210 bilhões de reais e está previsto a contratação de mais de 2 milhões de unidades habitacionais. A estimativa é que só dos cofres da União (Orçamento Geral da União) serão disponibilizados mais de R$41 bilhões para a efetivação da terceira etapa do programa. Além disso, o programa está com algumas mudanças importantes para que mais famílias possam ser beneficiadas com o programa, a principal mudança acontece com a criação da “faixa 1,5”. Essa faixa garantirá subsídios para àqueles que possuem renda fixa de até R$2.350,00 que visa atender às famílias que não se encaixavam no teto permitido pela chamada “faixa 1”.

Seleção dos novos beneficiários

A seleção desses novos beneficiários da terceira etapa do programa serão sorteados por meio do cadastro realizado no Sistema Nacional de Cadastro Habitacional, para que assim o processo ganhe mais transparência.

terceira-etapa-minha-casa-minha-vida

Nova Faixa

A “faixa 1,5” dá possibilidade de mais famílias conseguirem o subsídio para a aquisição do primeiro imóvel, sendo considerada um avanço. Feitas com novas regras e um teto financeiro diferentes da faixa 1, o programa visa contemplar um número maior de beneficiados nessa terceira etapa. Nessa nova faixa, os subsídios poderão ser de até R$45 mil reais para imóveis equivalentes a R$135 mil, com as devidas variações de localidade e renda fixa, e financiamento com juros na casa dos 5% ao ano. Aqueles que tiverem interesse em participar do programa do governo federal, o cadastro já está liberado desde o dia 04 de abril de 2016, podendo ser acessado no site do programa.

Faixas de Renda

A criação e os ajustes das faixas do programa passou por uma sútil adequação no intuito de atingir mais famílias. Sendo assim, os novos valores ficam para faixa 1, que antes era de até R$1.600,00 passou para R$1.800,00; a faixa 2 vai de R$3.275,00 para R$3.600,0 e a faixa 3 que que a partir de agora admitirá pessoas com renda de até R$6.500,00. Com o aumento dos valores das faixas do programa, o aumento também nos valores máximos do imóveis foi ajustado – muito em consequência do aumento dos custos de construção e etc – para que novas melhorias fossem implementadas nessa fase do programa habitacional. Sendo assim, na faixa 1 o valor máximo dos imóveis subiu para 96 mil e nas faixas 2 e 3 para 225 mil, e na faixa 1,5 o valor fixado é de 135 mil. Sendo assim, na faixa 1 o valor máximo dos imóveis subiu para 96 mil e nas faixas 2 e 3 para 225 mil, e na faixa 1,5 o valor fixado é de 135 mil.

Leave a Reply